segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Nem sempre foste um fim em ti mesma. Um dia da tua vida hás-de perceber que nada aconteceu por um acaso, que eras um alvo fácil e que a facilidade é sempre a preferida. Por isso é que arcaste com consequências que não eram tuas e ouviste o que nunca mereceste. (…) Camaradagem, companheirismo, entreajuda, para o ar… Promessas: leva-as o vento! A minha Mãe é que tem razão: “Amiga é a barriga, e às vezes dói muito.” Grande Mãe!

Um dia da tua vida hás-de levantar a cabeça e provar que o teu horizonte é muito mais do que aquilo que te queriam deixar ver, que a tua fortaleza é indestrutível e que o cuspir para o ar é de muita má educação. Porque eles não são realmente fortes: fazem bluff. E porque eles não têm palavra: gritam-te aos ouvidos... Sabes porquê? Porque, se os olhares por dentro, são vazios… Vazios e tristes


- Hoje foi o dia…

Sem comentários:

Enviar um comentário